Historia com Farinha

Jonas Araújo Jr.

jonas

…Sigo construindo a essencia do meu ser…

Anúncios

Comentários em: "Jonas Araújo Jr." (10)

  1. Prezado amigo

    Ficarei muito honrado com sua presença ao
    LANÇAMENTO DO LIVRO:
    CABANAGEM. AMAZÔNIDAS INDIGNADOS
    Dia 04 de fevereiro 2014 (Terça-feira),
    Às 16:00 horas,
    no Auditório Rio Solimões
    no Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL)
    da Universidade Federal do Amazonas (UFAM).
    Campus do Aleixo.
    Desde já o abraço agradecido
    Do Roberto

  2. Arline de Souza e Silva disse:

    Ola como vai Prof Jonas Ojuara, tenho necessidade de falar com você, é sobre a Escola “Arthur Engrácio” me responda com urgência, por favor, é muito importante. Você sabe o meu e-mail.

    Fico no aguardo,
    Arline Silva

  3. Victor dos Santos Pantoja disse:

    Victor dos Santos Pantoja N:41
    1° ano Sala: 02

    História do povo Hebreu – política, religião, Êxodo e Diáspora.
    O povo hebreu é hoje bastante conhecido pelas informações que encontramos na Bíblia, especialmente no Velho Testamento. Realmente os dados encontrados no livro sagrado dos cristãos são bastante utilizados e nos ajudam a conhecer melhor essa civilização.
    A origem deste povo teria se dado quando Tare, descendente de Sem (filho de Noé) juntamente com sua família deixou a Mesopotâmia partindo para o sul. Com sua morte Abraão assumiu o povo com a missão de levá-los a Terra Prometida (Canaã). Assim como os hebreus ocuparam a região, outros povos também se instalaram ali, o que gerou muitas disputas que se prolongam até os dias de hoje.
    Segundo a história uma parte desses hebreus migrou para o Egito no mesmo período em que a região foi invadida pelos hicsos. Como era aliado dos invasores, o povo hebreu não sofreu grande impacto e pode até gozar de certa liberdade. Mas com o tempo começaram a acontecer certos abusos que fizeram com que os hebreus resolvessem voltar para a Palestina sob a liderança de Moisés, o que ficou conhecido como Êxodo (1270 a 1220 a.C.)
    Com a morte de Moisés a liderança foi passada a Josué, que ajudou o povo a conquistar parte de Canaã.
    Após a cisma politico-religiosa e uma série de disputas com outros povos, a região foi dominada pelos babilônios, que destruiram Jerusalém e capturaram parte da população. Este episódio ficou conhecido como “cativeiro babilônico”. Com a vitória do persa Ciro, os hebreus foram libertados e voltaram a Jerusalém, acabando assim a divisão entre as tribos de Israel e Judá.
    No ano de 63 a.C. a Palestina foi anexada ao Império Romano que alguns anos depois passou a interferir em sua religião, o que levou a destruição de Jerusalém e por fim a Diáspora do povo hebreu.
    Política
    No início a base da organização social dos hebreus eram os clãs patriarcais, personificados pelo patriarca. Nessa época os laços entre os clãs eram frágeis o que tornava o povo propenso a invasões, já que faltava conhecimento militar.
    Pensando nisso surgiram os juízes, profetas com qualidades militares que lideravam o povo. Os mais importantes juízes deste período foram: Sangar, Gedeão, Sansão e Samuel.
    Ainda assim o povo questionou a ausência de um monarca sendo assim centralizado o poder nas mãos de Saul, o primeiro rei de Israel. Depois vieram Davi e Salomão que investiram na expansão territorial e no desenvolvimento do comércio local. Foi este o Tempo dos Reis.
    Com a morte de Salomão (926 a.C.) houve o fim da monarquia unificada surgindo as tribos de Israel e Judá.
    Religião
    Os hebreus, assim como os egípcios, cultuavam vários deuses. Dentre eles se destacava Iavé (Jeová), que com a volta do Egito acabou se tornando o único Deus estabelecendo assim o famoso monoteísmo hebreu.
    Com o cisma que dividiu o povo em dois, a tribo de Judá manteve o culto a um só Deus, enquanto a tribo de Israel foi introduzido o politeísmo ainda que persistisse o culto a Iavé.
    Além de ser um dos primeiros povos a adotar o monoteísmo, eles mantinham uma forte crença nos profetas e na vinda do Messias (Messianismo).
    A maior expressão cultural e religiosa do povo hebreu é a Bíblia, um livro com vários autores que conta a história e as crenças dessa civilização. Os Hebreus trabalhavam como pastores nômades, que estavam sempre em busca de terras férteis

    • Victor dos Santos Pantoja disse:

      E aqui que coloca o trabalho professor? se for, esta ai professor..
      E a proposito, o Numero de chamada e 43, eu tinha colocado errado..

      • Victor dos Santos Pantoja disse:

        Foi mal Professor, esqueci de identificar a escola..
        A escola e ”Escola Estadual Vasco Vasques”

  4. Victor dos Santos Pantoja disse:

    Victor dos Santos Pantoja N; 43
    1° ano Sala: 02

    História do povo Hebreu – política, religião, Êxodo e Diáspora.
    O povo hebreu é hoje bastante conhecido pelas informações que encontramos na Bíblia, especialmente no Velho Testamento. Realmente os dados encontrados no livro sagrado dos cristãos são bastante utilizados e nos ajudam a conhecer melhor essa civilização.
    A origem deste povo teria se dado quando Tare, descendente de Sem (filho de Noé) juntamente com sua família deixou a Mesopotâmia partindo para o sul. Com sua morte Abraão assumiu o povo com a missão de levá-los a Terra Prometida (Canaã). Assim como os hebreus ocuparam a região, outros povos também se instalaram ali, o que gerou muitas disputas que se prolongam até os dias de hoje.
    Segundo a história uma parte desses hebreus migrou para o Egito no mesmo período em que a região foi invadida pelos hicsos. Como era aliado dos invasores, o povo hebreu não sofreu grande impacto e pode até gozar de certa liberdade. Mas com o tempo começaram a acontecer certos abusos que fizeram com que os hebreus resolvessem voltar para a Palestina sob a liderança de Moisés, o que ficou conhecido como Êxodo (1270 a 1220 a.C.)
    Com a morte de Moisés a liderança foi passada a Josué, que ajudou o povo a conquistar parte de Canaã.
    Após a cisma politico-religiosa e uma série de disputas com outros povos, a região foi dominada pelos babilônios, que destruiram Jerusalém e capturaram parte da população. Este episódio ficou conhecido como “cativeiro babilônico”. Com a vitória do persa Ciro, os hebreus foram libertados e voltaram a Jerusalém, acabando assim a divisão entre as tribos de Israel e Judá.
    No ano de 63 a.C. a Palestina foi anexada ao Império Romano que alguns anos depois passou a interferir em sua religião, o que levou a destruição de Jerusalém e por fim a Diáspora do povo hebreu.
    Política
    No início a base da organização social dos hebreus eram os clãs patriarcais, personificados pelo patriarca. Nessa época os laços entre os clãs eram frágeis o que tornava o povo propenso a invasões, já que faltava conhecimento militar.
    Pensando nisso surgiram os juízes, profetas com qualidades militares que lideravam o povo. Os mais importantes juízes deste período foram: Sangar, Gedeão, Sansão e Samuel.
    Ainda assim o povo questionou a ausência de um monarca sendo assim centralizado o poder nas mãos de Saul, o primeiro rei de Israel. Depois vieram Davi e Salomão que investiram na expansão territorial e no desenvolvimento do comércio local. Foi este o Tempo dos Reis.
    Com a morte de Salomão (926 a.C.) houve o fim da monarquia unificada surgindo as tribos de Israel e Judá.
    Religião
    Os hebreus, assim como os egípcios, cultuavam vários deuses. Dentre eles se destacava Iavé (Jeová), que com a volta do Egito acabou se tornando o único Deus estabelecendo assim o famoso monoteísmo hebreu.
    Com o cisma que dividiu o povo em dois, a tribo de Judá manteve o culto a um só Deus, enquanto a tribo de Israel foi introduzido o politeísmo ainda que persistisse o culto a Iavé.
    Além de ser um dos primeiros povos a adotar o monoteísmo, eles mantinham uma forte crença nos profetas e na vinda do Messias (Messianismo).
    A maior expressão cultural e religiosa do povo hebreu é a Bíblia, um livro com vários autores que conta a história e as crenças dessa civilização. Os Hebreus trabalhavam como pastores nômades, que estavam sempre em busca de terras férteis

  5. Kellyane Pereira da Costa disse:

    Kellyane Costa N: 27
    1° ano sala 02
    Escola Estadual Vasco Vasques

    Êxodo.
    O episódio do Êxodo se refere a um episódio Bíblico de acordo com o qual os judeus, escravizados no Egito, teriam conseguido fugir da terra estrangeira, retornando à sua terra de origem, Canaã, sob a liderança de Moisés. Os relatos bíblicos falam que a família de Jacó, um dos patriarcas, teria partido da terra colonizada por Abraão até o Egito devido a uma seca. Lá, encontrando-se com seu familiar José, que teria ascendido a uma posição de importância dentro do governo do faraó, teriam se instalado por alguns anos. . Não existe, contudo, nenhuma evidência extra-bíblica para este episódio. Para harmonizar as fontes arqueológicas com as fontes escritas, alguns historiadores sustentam que “apenas alguns do povo de Israel estavam no Egito e o grupo vindo do Egito então teria se juntado a outros grupos para formar o que foi conhecido como Israel”.[38] . No entanto, os egiptólogos estão de acordo de que a imagem dum Egito escravista não é coerente com o Egito da época, onde não havia escravidão. Para Donald B. Redford, os números de judeus envolvidos no êxodo são por demais extravagantes. As escavações intensivas realizadas nas regiões pelas quais os hebreus teriam passado em seu trajeto de migração não fornecem nenhum dado arqueológico de assentamento humano na época do êxodo, e o relato bíblico cita cidades que só existiram muito tempo mais tarde. . O êxodo era considerado um evento central na história hebraico, regularmente comemorado pelos hebreus.

  6. Kellyane Pereira da Costa disse:

    Kellyane Costa N: 27
    1° ano sala 02
    Escola Estadual Vasco Vasques

    Êxodo.
    O episódio do Êxodo se refere a um episódio Bíblico de acordo com o qual os judeus, escravizados no Egito, teriam conseguido fugir da terra estrangeira, retornando à sua terra de origem, Canaã, sob a liderança de Moisés. Os relatos bíblicos falam que a família de Jacó, um dos patriarcas, teria partido da terra colonizada por Abraão até o Egito devido a uma seca. Lá, encontrando-se com seu familiar José, que teria ascendido a uma posição de importância dentro do governo do faraó, teriam se instalado por alguns anos. . Não existe, contudo, nenhuma evidência extra-bíblica para este episódio. Para harmonizar as fontes arqueológicas com as fontes escritas, alguns historiadores sustentam que “apenas alguns do povo de Israel estavam no Egito e o grupo vindo do Egito então teria se juntado a outros grupos para formar o que foi conhecido como Israel”.[38] . No entanto, os egiptólogos estão de acordo de que a imagem dum Egito escravista não é coerente com o Egito da época, onde não havia escravidão. Para Donald B. Redford, os números de judeus envolvidos no êxodo são por demais extravagantes. As escavações intensivas realizadas nas regiões pelas quais os hebreus teriam passado em seu trajeto de migração não fornecem nenhum dado arqueológico de assentamento humano na época do êxodo, e o relato bíblico cita cidades que só existiram muito tempo mais tarde. . O êxodo era considerado um evento central na história hebraico, regularmente comemorado pelos hebreus.

  7. Adriano Souza de Souza disse:

    Adriano Souza de Souza N:02
    1°ano sala 02
    Escola Estadual Vasco Vasques
    Hebreus
    Os hebreus são conhecidos como israelitas ou judeus.
    Antepassados do povo judeu, os hebreus têm uma historia marcada por migrações e pelo monoteísmo.
    Muitas informações sobre a história dos hebreus baseiam-se na interpretação de textos do Antigo Testamento, a primeira parte da Bíblia. O Antigo testamento foi escrito com base na tradição oral dos hebreus. Consta dele, por exemplo, a interpretação feita por esse povo da origem do mundo e de muitas das normas éticas e morais de sua sociedade. Convém ressaltar, entretanto, que esses textos são repletos de símbolos e sua interpretação é bastante difícil.
    Vestígios da sociedade hebraica continuam sendo encontrados. Eles contribuem para lançar novas luzes sobre a história dos hebreus.
    Segundo a tradição, Abraão, o patriarca fundador da nação hebraica, recebeu de Deus a missão de migrar para Canaã, terra dos cananeus, depois chamada de palestina, onde se localiza hoje a Estado de Israel.
    Após passarem um período na terra dos cananeus, os hebreus, foram para o Egito, onde viveram em 300 e 400 anos, e acabaram transformados em escravos. Sua historia começa a ganhar destaque a partir do momento em que resolvem sair do Egito e, sob a liderança de Moisés, voltar a Canaã. Na história judaica, esse retorno é chamado de êxodo e aconteceu entre 1300 e 1250 a.C.
    Em 70 d.C., a Palestina era uma província do Império Romano; as muitas rebeliões ocorridas na região levaram o governo imperial a expulsar os hebreus da Palestina. Esse acontecimento é denominado de diáspora. Até 1948, quando foi fundado o estado de Israel, os judeus viveram sem pátria, atualmente são os palestinos que não tem pátria, pois suas terras foram tomadas pelos israelenses.
    Praticam a agricultura, o pastoreio, o artesanato e o comércio. Têm por base social o trabalho de escravos e servos. As tribos são dirigidas de forma absoluta pelos chefes de família (patriarcas), que acumulam as funções de sacerdote, juiz e chefe militar. Com a unificação destas, a partir de 1010 a.C., elegem juízes para vigiar o cumprimento do culto e da lei. Depois se unem em torno do rei. Produzem uma literatura dispersa, mas importante, contida em parte na Bíblia e no Talmude.
    Localização
    A Palestina localizava-se em uma estreita faixa a sudoeste do atual Líbano. O rio Jordão divide a região em duas partes: a leste a Transjordânia; e a oeste, a Cisjordânia. Essa região é atualmente ocupada pelo estado de Israel.
    Até hoje a região é bastaste árida. O principal rio é o Jordão, e assim mesmo não era suficiente para grandes obras de irrigação. Um solo pouco fértil e um clima bastante seco impediam que a região fosse rica. No entanto, tinha bastante importância, pois era passagem e ligação entre
    a Mesopotâmia e a Ásia Menor. E foi nessa região que assentou o povo hebreu, um entre os muitos que vagaram e se estabeleceram na Palestina.
    Organização social e política dos hebreus
    Após a morte de Moisés, os hebreus chegaram à palestina e, sob a liderança de Josué, que cruza o rio Jordão, combate com os cananeus que então habitavam a terra prometida. Vencidos os cananeus, os israelitas se estabelecem na Palestina. Nessa época, o povo hebreu estava dividido em 12 tribos (“os doze filhos de Israel”), que viviam em clãs compostos pelos patriarcas, seus filhos, mulheres e trabalhadores não livres.
    O poder e prestígio desses clãs eram personificados pelo patriarca, e os laços entre esses clãs eram muito frágeis. Porém, devido às lutas pelas conquistas de Canaã ou Terra Prometida, surgiu necessidade do poder e do comando estar nas mãos de chefes militares. Estes chefes passaram a ser conhecidos como Juizes.
    Com a concentração do poder em suas mãos, os juizes procuraram à união das doze tribos, pois ela possibilitaria a realização do objeto comum: O domínio da Palestina. As principais lideranças deste período foram os juizes: Sansão, Otoniel, Gideão e Samuel, todos eram considerados enviados de Jeová, para comandar os Hebreus.
    A união das doze tribos era difícil de ser conseguida e mantida, pois os juizes tinham um poder temporário e mesmo com a unidade cultural, (língua, costumes, e, principalmente religião), havia muita divisão política entre as tribos. Assim foi preciso estabelecer uma unidade política. Isto foi conseguido através da centralização do poder nas mãos de um monarca, Rei, o qual teria sido escolhido por Jeová para governar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: