Historia com Farinha

“Hércules contra duas Amazonas”, séc. VI a.C. (c. 530-525 a.C.). Argila.
 Ânfora grega
Para aprofundar os estudos feitos sobre a construção da cidadania e democracia na antiguidade apresento a lista de exercícios a baixo, claro que nosso objetivo não é abordar todos os processos históricos daquele período, mas, principalmente exercitar as chamada habilidades e competências das Ciências Humanas e suas Tecnologias.
Um ótimo trabalho a tod@s!
ATENÇÃO
Caso queira ter acesso a esse exercicio, em formato PDF visite: http://www.slideshare.net/JonasOjuara/grcia-jonas-2

Lista de Revisão sobre o Módulo I: Cidadania e democracia na Antiguidade
01.   (JONAS/CEST/2010) Leia o texto, de Aristóteles, comentando a condição de escravo na Grécia.
“Há na espécie humana indivíduos tão inferiores aos outros […] [que] o emprego da força física é o melhor que deles se obtém. […] tais indivíduos são destinados, por natureza, à escravidão, porque, para eles, nada é mais que obedecer.”
Aristóteles. A política. Rio de Janeiro:
 Edições de Ouro ,[s.d.]. p.24 (Col. Universidade
 e clássicos universais)
a)       De acordo com o texto, qual é a natureza da escravidão? Que argumentos são utilizados por Aristóteles para justificar a escravidão
b)       Explique o processo de formação da polis e, com base no que foi estudado, caracterize a cidade Estado grega
02.               (JONAS/CEST/2010) O termo democracia tem origem na palavra grega demokratía e significa “governo do povo”. O governo do povo baseia-se nos princípios da soberania popular e da distribuição igualitária do poder. Explique o que é a soberania popular e como era realizada a distribuição igualitária do poder na Grécia antiga. 
03.               (JONAS/CEST/2010)Leia o fragmento abaixo atenciosamente e responda.
Mulheres de Atenas(Chico Buarque)
Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Vivem pros seus maridos orgulho e raça de Atenas
Quando amadas se perfumam
Se banham com leite, se arrumam
Suas melenas
Quando fustigadas não choram
Se ajoelham, pedem imploram
Mais duras penas,
cadenas
Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Sofrem pros seus maridos
Poder e força de Atenas
Quando eles embarcam soldados
Elas tecem longos bordados
Mil quarentenas
E quando eles voltam, sedentos
Querem arrancar, violentos
Carícias plenas, obscenas
Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Bravos guerreiros de Atenas
Quando eles se entopem de vinho
Costumam buscar um carinho
De outras falenas
Mas no fim da noite, aos pedaços
Quase sempre voltam pros braços
De suas pequenas, Helenas
Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Geram pros seus maridos
Os novos filhos de Atenas
Elas não têm gosto ou vontade
Nem defeito, nem qualidade
Têm medo apenas(…)
Temem por seus maridos
Heróis e amantes de Atenas
As jovens viúvas marcadas
E as gestantes abandonadas, não fazem cenas
Vestem-se de negro, se encolhem
Se conformam e se recolhem
As suas novenas
Serenas
Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Secam por seus maridos
Orgulho e raça de Atenas
Embora retrate o universo feminino de Atenas antiga, a letra dessa música nos dá algumas pistas sobre as tarefas dos homens na sociedade ateniense. Liste essas tarefas e explique a importância delas para a sociedade ateniense. (1,0)
05 (JONAS/CEST/2011)Atenas era a maior e a mais poderosa pólis grega, porque tinha muitas colônias no estrangeiro. Havia duas classes de colônias: as colônias comerciais e agrárias. Explique a diferença entre essas duas classes de colônia e apresente as categorias sociais da sociedade ateniense.
06 (Unicamp 2008) Nada é mais na vida cotidiana da coletividade do que a oratória, que partilha com o teatro a característica de ser a manifestação cultural mais popular e mais praticada na Atenas clássica. A civilização da Atenas clássica é uma civilização do debate. As reações dos atenienses na Assembléia eram influenciadas por sua experiência como público do teatro e vice-versa. Trata-se de uma civilização substancialmente oral. O grego era educado para escutar. O caminho de Sócrates a Aristóteles ilustra perfeitamente o percurso da cultura grega da oralidade à civilização da escrita, que corresponde, no plano político e social, à passagem da cidade-estado ao ecumenismo helenístico.

(Adaptado de Agostino Masarachia, “La prosa greca del V e del IV secolo a.C.” In: Giovanni D.Anna (org.). Storia della letteratura greca. Roma: Tascabile Economici Newton, 1995, p. 52-54)

a) Estabeleça relações entre o modelo político vigente na Atenas clássica e a importância assumida pelo teatro e pela oratória nesse período. 
b) Aponte características do período helenístico que o diferenciam da Atenas clássica.
07 (JONAS/EVM/2010) Esparta era a cidade estado que disputava diretamente com Atenas o poder político e militar na Grécia Antiga. Apresente as categorias sociais dessa sociedade e estabeleça a diferença para a sociedade ateniense.


08 (UEL-2005) Sobre a passagem do mito à filosofia, na Grécia Antiga, considere as afirmativas a seguir.
I. Os poemas homéricos, em razão de muitos de seus componentes, já contêm características essenciais da compreensão de mundo grega que, posteriormente, se revelaram importantes para o surgimento da filosofia.
II. O naturalismo, que se manifesta nas origens da filosofia, já se evidencia na própria religiosidade grega, na medida em que nem homens nem deuses são compreendidos como perfeitos.
III. A humanização dos deuses na religião grega, que os entende movidos por sentimentos similares aos dos homens, contribuiu para o processo de racionalização da cultura grega, auxiliando o desenvolvimento do pensamento filosófico e científico.
IV. O mito foi superado, cedendo lugar ao pensamento filosófico, devido à assimilação que os gregos fizeram da sabedoria dos povos orientais, sabedoria esta desvinculada de qualquer base religiosa.
Estão corretas apenas as afirmativas:
a) I e II.
b) II e IV.
c) III e IV.
d) I, II e III.
e) I, III e IV.
09.    (UFRN 99) Leia o fragmento a seguir.

A civilização da Grécia, em especial na sua forma ateniense, fundava-se em ideais de liberdade, otimismo, secularismo, racionalismo, glorificação tanto do corpo como do espírito e de grande respeito pela dignidade e mérito do indivíduo. A religião era terrena e prática, servindo aos interesses dos homens. A religião era um meio de enobrecimento do homem.

[adaptação] BURNS, Edward McNall. História da Civilização Ocidental. Rio de Janeiro: Globo, 1986. v.1. p.123.
O fragmento trata principalmente do(a)
A) hegemonia cultural da Grécia na cultura antiga.
B) politeísmo na religião grega.
C) antropocentrismo na cultura grega.
D) influência dos gregos sobre o Ocidente.
10.              (ENEM/2008)

Atualmente a ONU classifica 140 nações como democráticas, o que significa um grande avanço mundial. No entanto, em diversas nações, democracia, miséria, crimes, tráfico de drogas, corrupção e outros males avançam juntos, fazendo com que seus cidadãos desconfiem das instituições democráticas, como retrata a charge bem humorada de Millôr Fernandes: (0,5)
Segundo estudos, estas deficiências podem ser combatidas e as instituições democráticas perfeiçoadas através da adoção de procedimentos éticos na condução da coisa pública, tarefa não só das autoridades constituídas, mas também, dos cidadãos destas nações.
Foi justamente a ação de cidadãos, em meio a uma grave crise social no século VIII a.C., que deu aos gregos o privilégio da concepção do Estado democrático, cuja “mágica” residia no fato de que as leis passariam a serem feitas por homens e não mais por deuses.
Marque a alternativa que encerra corretamente um dos fatos desse processo de concepção:
a)A constituição de Sólon estabeleceu o regime democrático ao abolir a escravidão por dívida e estender o acesso aos cargos públicos a toda a população ateniense.
b)A contestação das camadas populares pressionou os eupátridas, que cederam à realização de reformas políticas e sociais.
c)  O código de leis draconiano introduziu critérios sociais mais justos, atendendo às necessidades dos camponeses.
d)O governo tirano de Psístrato foi marcado por uma longa guerra civil acirrada pela retirada das prerrogativas dos demiurgos.
Clístenes aperfeiçoou as reformas de Sólon, instituindo, por exemplo, a Bulé, assembléia da qual podiam participar todos os cidadãos atenienses
11.ENEM/1998
As diferentes formas em que as sociedades se organizam socioeconomicamente visam a atender suas necessidades para a época. O liberalismo, atualmente, assume papel crescente, com os Estados diminuindo sua atuação em várias áreas, inclusive vendendo empresas estatais. Da idéia de interferência estatal na economia, do “Estado de Bem-Estar”, da assistência social ampla e emprego garantido por lei, e, às vezes, à custa de subsídios (na Europa defendido pela Social-Democracia), caminha-se para um Estado enxuto e ágil, onde a manutenção do progresso econômico e uma maior liberdade na conquista do mercado são as formas de assegurar ao cidadão o acesso ao bem-estar. Nem sempre a população concorda.
Neste contexto, as eleições gerais na Alemanha, em 1998, poderão levar Helmuth Kohl, com longa e frutuosa carreira à frente daquele país, a entregar o posto ao social-democrata Gerhard Schroeder.
O desemprego na Alemanha atinge seu ponto máximo. A moeda única européia será o fim do Marco Alemão. A imagem de Helmuth Kohl começa a desvanecer-se. Conseguirá vencer este ano? Seja como for, ele luta. Mas recebeu um novo e tremendo golpe: o Partido Liberal (FDP) deixou Kohl. O secretário Geral do FDP, Guido Westerwelle declarou: Começou o fim da era Kohl!
A Alemanha ajuda a concretizar o bloco econômico da União Européia. A participação neste bloco implica a adoção de um sistema socioeconômico que:
a)  dificulta a livre iniciativa econômica, inclusive das grandes empresas na Alemanha.
b)  ofereça mercado europeu mais restrito aos produtos e serviços alemães.
c)   diminua as oportunidades de iniciativa econômica para os alemães em outros países e vice-versa.
d)  garanta o emprego, na Alemanha, pelo afastamento da concorrência de outros países da própria União Européia.
e)  por meio da união de esforços com os o países da União Européia, permita à economia alemã concorrer em melhores condições com países de fora da União Européia.
12.   (JONAS/CCTM/2012) A charge ilustra
http://www.brasilescola.com/upload/e/Crises%20-%20EDUCADOR.jpg 

Disponível em e capturado em novembro de 2009
a)  A semelhança existente entre as crises econômicas de 1929 e 2008.
b)  Desvaloriza o papel do governo e supervaloriza a ação dos banqueiros.
c)  Expressa o suicídio do banqueiros em 1929 frente a falência monetária, já em 2008 em vez de banqueiros os sacrificados eram os trabalhadores
d)  Menosprezo governamental em relação aos banqueiros em 1929 e a mesma situação ocorre em 2008 só que com os trabalhadores.
e)  Aprofundamento do problema social do desemprego e do subemprego.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: